PORQUE DESTE BLOG

No dia 17.10.2015, comecei a escrever, diariamente, alguns textos com o título “PENSANDO”. Tem sido um exercício interessante e, ao mesmo tempo, difícil. Não tenho a facilidade destes articulistas que conseguem, durante períodos muito longos, escreverem sobre os mais diversos assuntos todos os dias. Procuro não entrar na política embora esbarre vez por outra. Eventualmente se o fizer serei, na medida do possível, genérico. Nunca citando nomes. Se possível!
Vez por outra coloquei alguns poemas do meu livro de poesias ”LIMITAÇÕES”, acredito que ainda me socorrerei destes trabalhos já feitos. O escrever diário requer treino e imaginação e os poemas me ajudarão nestas falhas de inspiração literária.
Tenho tido o cuidado de colocar ao final dos textos, o significado de algumas palavras que entendo serem necessárias. Posso dizer que é muito mais para mim do que para o leitor.  Sobre o cuidado com a *sintaxe me socorro com Luis Fernando Veríssimo que diz: “A sintaxe é uma questão de uso, não de princípios. Escrever bem é escrever claro, não necessariamente certo. Por exemplo: dizer "escrever claro" não é certo mas é claro, certo?”
Não sou tão simplista como Pablo Neruda quando diz: “Escrever é fácil. Você começa com uma letra maiúscula e termina com um ponto final. No meio você coloca ideias”. É aí, no meio, que está o problema: IDEIAS. Pessoalmente, vejo o escrever como uma lavoura árdua onde as palavras que entendo como sementes, devem brotar nos seus devidos lugares para serem usadas adequadamente, e que possamos retirar delas todo o seu conteúdo.
Finalmente, sobre as palavras escrevi um poema, que me socorre mais uma vez para finalizar este texto.

Poema do meu livro “LIMITAÇÕES”

PALAVRAS

Palavras, quem dera conhecê-las.
Todas,
completamente.
Ser íntimo dos verbos e substantivos.
Relação amorosa de pai e filho,
dicionaricamente.
**Aurélio! Aurélio! Aurélio!
Que pena!
Meu nome é Mário.


* Sintaxe é a parte da gramática que estuda a disposição das palavras na frase e a das frases no discurso.

** Aurélio - é de Aurélio Buarque de Holanda. A preocupação com a língua portuguesa e o amor pelas palavras levou-o a estudar e pesquisar o idioma durante muitos anos com o objetivo de lançar seu próprio dicionário. Finalmente, em 1975, foi publicado o Novo Dicionário da Língua Portuguesa, conhecido como Dicionário Aurélio ou somente "Aurelião" ou "Aurélio". Modesto, ele vetou a inclusão, na sua obra, do verbete "Aurélio" como sinônimo de dicionário.


Postar um comentário