quinta-feira, 9 de novembro de 2017

DOR (2)

Se um dia, este medonho monstro
Que me prende e assusta
Fosse embora,
Já nem sei como seria.
Fui tão preso,
Tão encarcerado,
Que a liberdade me sufocaria.
Perderia a minha identidade,
Fugiria do que sempre fui.
Assim, sem luta,
Seria o meu viver:
Glacial, parado, enfadonho.
Se fosse embora quem me prende e
Assusta...
Este monstro medonho.


Postar um comentário