terça-feira, 31 de outubro de 2017

A PREGUIÇA (2)

Quantas vezes não dizemos: “Hoje gostaria de ficar em casa!”.

É aquela questão da liberdade, livre arbítrio. Até podemos praticar esta pequena transgressão, quando transgressão, em pouquíssimas ocasiões. Como foi dito, temos o livre arbítrio. Não podemos esquecer de que a moeda tem dois lados: sempre!

Aquela preguiça que fica parelha com a negligência é perigosa.

A primeira lei de Newton: Lei da Inércia se aplica neste nosso assunto com propriedade: “Por inércia, um corpo em repouso tende a continuar em repouso”. Continuar em repouso tem nome: preguiça. Daí fica a dúvida se a palavra procrastinação que tem como sinônimos: adiar, delongar, postergar, e por aí vai, se aplica aqui. Sei não!

A psicologia, cuja finalidade é estudar o comportamento humano com seus relacionamentos mentais: pensamentos, sentimentos, razões e atitudes, não vão explicar ao guri deitado em um sofá, com um saco de batatas fritas e um game conectado que ele está na condição do preguiçoso.

-Vai?

- Nunca!

Participando ativamente dos sete pecados capitais a preguiça é bem pontuada neste rank.

- Olha a pontuação subindo aí gente!!!

Uma pequena violação não trará consequências mais sérias.

- É verdade!

A repetição será danosa. Cabendo neste momento a pergunta:

- É preguiça ou o quê?

A preguiça quando faltando ao trabalho é pura omissão. Pior, é a mais flagrante irresponsabilidade. A diferença pode ser fatal: seu trabalho estará em jogo. A preguiça será no mínimo equivocada dependendo do contexto em que ocorrer esta situação.

Existe a preguiça permitida, como um pequeno capricho, que é bem vinda desde que não se insira em um movimento contínuo.

Falando com exclusividade da preguiça relacionada ao nosso trabalho, não podemos nos esquecer da interdependência que poderá ocorrer nestes casos que é o seguinte: “Não falte muito ao serviço para que seu patrão não o dispense por perceber que você não faz falta”.





segunda-feira, 30 de outubro de 2017

PREVENIR (2)

Não afaste de você
Quem pode lhe querer bem.
É mais cego o que não vê?
É mais pobre o que não tem?

Será fácil ver que não
Isto é verdade também
Assim sendo a decisão
É não afastar ninguém

Traga pro seu coração
A sua irmã, seu irmão
Faça esta vida valer

Beije, acarinhe e abrace
Faça antes que a vida passe
Que é o que vai acontecer


sábado, 28 de outubro de 2017

ENTENDIMENTO (2)

Sim, sobre meu ponto de vista turvo,
Exótico e unilateral
Pairam dúvidas, receios,
Em ver o bem vencido pelo mal

O meu sono retira, atrapalha
O meu necessário sono.
E esta dicotomia falha,
Tira de mim o que pensei ser dono

Que pretensão a minha possuir
O entendimento entre o mal e o bem.
O bem, a ele vou tentar me unir
E o mal, o mal hei de viver sem.

Neste momento é que aparece
O lobo em pele de cordeiro
O mal que mostra a outra face
Escondendo oculto o verdadeiro


quinta-feira, 26 de outubro de 2017

O CRESCIMENTO (2)

Crescer é um verbo interessante e com amplo espectro. Parece que estou falando de remédios. Não, não é esta a minha linha de pensamento neste instante. Poderia mas, não posso; nada entendo da imensa nomenclatura farmacológica e suas aplicações. Falo do crescer interiormente nas relações em suas mais diferentes interações na busca de um objetivo.

- Posso crescer com você?

Podemos crescer unilateralmente buscando para nós mesmos este desenvolvimento que nos levará a patamares mais alto dentro de uma escala de valores qualquer.

- Posso crescer com você?

Ascender, elevar e evoluir são sinônimos do verbo crescer que ajudam a identificar e reforçar esta condição: evoluir para alguma condição melhor: material, mental, social. Buscar oportunidades é uma das maneiras de encontrar o crescimento. Claro, teremos desafios em nossos caminhos sejam quais forem os escolhidos. Muitos desafios serão contornados com o diálogo, uma boa conversa. Nada melhor que uma boa conversa! O tempo é outro fator para o crescimento (Evolução), é necessária a maturação das ideias, do trabalho e, sem dúvida, paciência. Confúcio já dizia: “Transportai um punhado de terra todos os dias e fareis uma montanha”. Crescer no sentido de evoluir, como se vê, abrange uma quantidade de atitudes a serem tomadas.

- Posso crescer com você?

Parece difícil? Concordo! Evoluir é um caminho a ser percorrido e, nem sempre, a estrada será a melhor.


- Posso crescer com você?

Ajudar o outro a crescer, no meu entendimento, é a melhor e mais eficaz ferramenta de conferência de que você cresceu. Ajudar o outro dará retorno ao nosso crescimento de forma redobrada.

Crescer (Evoluir) ajudando, incentivando, participando.

Podemos crescer muito mais ajudando o outro.

- Posso crescer com você?


sábado, 21 de outubro de 2017

DE ONDE? (2)

E o meu poema parte quase sempre
De um pequeno fragmento
Que se divide e multiplica.
Aí está a origem.

Uma palavra, uma frase, um momento.
Nada mais que isto
Apenas isto.
Daí se desencadeia como em semente
Uma ideia que a mim chega.
Não tão comum, nem tão frequente.

E nesta trança de letras, vai tomando corpo
O corpo do poema
Traz consigo a mais diversa ideia
Contida na incontida gema.


segunda-feira, 16 de outubro de 2017

PARA CORA CORALINA (2)

Alguma pedra solta em minha história
Traz-me à lembrança Coralina
Que com as pedras conviveu.
Delas extraiu a vida.
Com elas acendeu o fogo.
A faísca amorosa das pedras
Que acalentaram seus sonhos.
A mulher forte que venceu seu meio
E colocou no mundo os filhos e os versos.
E de onde veio o despertar poético?
Das pedras da cidade de Goiás
Da dura aparência de sua geologia
Despertou dentro de si o canto recatado
Em universal poesia
E não sabia ela que era o canto
Que o verso dentro dela já vivia.

Dizem que por lá ainda mora
Às margens do Rio Vermelho
A Coralina que se chamava Cora


quinta-feira, 12 de outubro de 2017

DOCE E AMARGO (2)

Doce e amargo será o dia,
Tendo dia que é mais doce
Fosse assim com alegria,
Todo dia se assim fosse.

Mas o amargo prevalece,
Nestes dias de amargor.
O que era doce fenece,
E o dia perde o sabor.

Então se escolher pudesse,
Entre o sabor que quisesse,
Por certo eu escolheria...
Por água neste limão,
Açúcar no coração,
Você, no meu dia a dia.


segunda-feira, 9 de outubro de 2017

ONDE QUERO ESTAR (2)

Que diabo está acontecendo com o meu Brasil? Estou vendo pessoas saindo do País por insegurança no trabalho, porque definitivamente está faltando trabalho e, por pura insegurança sim, pois não temos Segurança Pública. Nenhuma! Estar na rua é uma roleta russa, serei ou não assaltado? Quem sabe, morto? É assim que está! Hoje, a pessoa que tem sorte é a que não foi assaltada. Bom notar que não existe local específico, o ladrão está se movimentando com agilidade e atualizando seus procedimentos. Diferentemente da nossa polícia que anda com seus armamentos desatualizados, com salários defasados, com número insuficiente de pessoal para poder dar conta da crescente onda de meliantes. O bandido importa (Contrabando) armamento de primeiro mundo enquanto a polícia trabalha com equipamentos de potência bastante inferior.

Assim não dá!

Quando os policiais conseguem tomar estas armas, nossas leis dizem que elas devem ser destruídas. Nunca vou entender a lógica desta atitude. Deve ser o parlamentar bandido, solidário, defendendo o bandido. Só pode! Parece que alguém teve um momento de lucidez e esta lei absurda está revertendo em benefício da polícia.

Tem também o lado da justiça que solta o bandido preso. Policial prende e a justiça solta. Cansamos de ver isto. De fato, estamos cansados disto!

Estamos dentro de um furacão destrutivo que vai arrebentando as bases de tudo que já havíamos conseguido. Estamos vendo de forma assustadora a corrupção, no meio deste furacão medonho, germinando como praga por todas as atividades de governo. A cada nova denúncia que aparece percebemos que não sabemos nada sobre o nível pós-graduado em corrupção que é o que temos hoje no Brasil. Políticos com PhD em safadeza.

Definitivamente, quem pode está deixando este País: Pátria amada Brasil!

A bem da verdade, eu não quero mudar de País, é como disse alguém: “Quero o meu Brasil de volta”.

Só isto!


sexta-feira, 6 de outubro de 2017

A CONVERSA QUE RESOLVE (2)

A palavra é a forma de expressão mais adequada para a maioria dos casos de comunicação, estamos traduzindo os nossos pensamentos de forma a sermos entendidos. Conversar é isto, usar a palavra! Para saudações, dirimir situações, explicar fatos, demonstrar verdades, falar de amor não importa, a palavra permite o contato adequado em todas estas situações e outras tantas. O uso correto depende em grande parte de nossa vontade sim, porque a palavra indevida na hora errada é o punhal que fere e machuca. Pode causar a ferida que não cicatrizará. Assim é a palavra, pode: agradar, abençoar, ensinar, elogiar, enaltecer, bendizer; pode também agredir, ferir, amaldiçoar, corromper e matar.

- Então?

- Então o quê!

Existem momentos em que palavra alguma resolverá uma situação embaraçosa, de tristeza ou de dor. Neste instante entra em cena outra forma de comunicação: a linguagem corporal. É verdade, um gesto tem o poder de um discurso, tem a força amorosa necessária e é profundamente emblemático. Faremos então a conexão necessária para resolvermos sem palavras uma situação onde falar não tem mais espaço, não resolve e, pior, quando não existem palavras adequadas. A expressão corporal, gestual, o movimento dos olhos são elementos que complementam uma comunicação de forma maravilhosa para alterar um cenário catastrófico.

Descobrir este instrumento de interação e usá-lo faz parte das boas pessoas.

Um aperto de mão, um abraço, um beijo na hora certa contêm mais palavras que um discurso.

São autoexplicativos.

São curativos.

São esclarecedores.

Vou mais além, são ferramentas amorosas.

Use!


domingo, 1 de outubro de 2017

PALAVRAS (2)

Estou em busca de palavras para escrever este texto e nada. Pesquisando vejo que o dicionário Houaiss traz 228.000 verbetes e 380 mil palavras no geral e, o Aurélio, 435.000 verbetes e em torno de 500 mil palavras. Fico matutando a respeito e vejo que deve ser incompetência de minha parte. É só abrir o dicionário e pinçar palavras, não é?

Sobram palavras!

A dificuldade está em juntar estas palavras de forma coerente para que fique compreensível. Fundamental, tenho que pensar em um assunto para iniciar o meu trabalho e começar a capturar palavras nas suas classes gramaticais como: substantivo, artigo, adjetivo, numeral, pronome, verbo, advérbio, preposição, conjunção e interjeição. É uma verdadeira caçada! Além disto, repito, colocar cada uma no seu devido lugar.

As convenções da escrita estão inseridas no que conhecemos como ortografia. Foi convencionada entre países da língua portuguesa a forma de grafar as palavras (escrever).

Nós temos 26 letras para confeccionar palavras. Todo dia aparecem novas palavras em função das atividades comerciais, profissionais ou técnicas que acabam sendo usadas na conversa diária e, quando vemos, temos um novo neologismo. Sim, aquela palavra nova. A computação trouxe uma quantidade enorme de exemplos nesta situação. Vejamos um:

*Link - substantivo masculino - elemento de hipermídia formado por um trecho de texto em destaque ou por um elemento gráfico que, ao ser acionado (geralmente mediante um clique de mouse), provoca a exibição de novo hiperdocumento. Hoje é comum ouvirmos uma frase como:

- Vamos lincar a loja da Andressa na mídia de hoje.

Lincar, sem “K”. Estou atualizado! Aí está o neologismo.

A palavra não tem dono assim sendo vou usando e conferindo seu peso e coloração.

Não tenho como reclamar, está tudo disponível para mim.

É só escrever!