sábado, 17 de dezembro de 2016

VIAJANTE

Cansei-me do asfalto.
Vou galopar pela Via Láctea.
Brigarei com a Ursa Maior
depois, caio nos braços de Vênus.
Asfalto...cansaço.
Aquela faixa amarela,
faixa amarela,
faixa amarela.
Costuradas no centro da rodovia
parece-me uma das pernas
da calça do mundo.
Jeans do universo.
Tenho um sono doentio
contra as estradas.
Acorda!
Talvez 40G, talvez menos.
Vejo naquele topo um lago,
um lago fluído,
que não vira nada.
Desolando a paisagem
e sufocando o caminho
somente cana,
cultura, monocultura,
quilômetros e quilômetros.
Este rio já conheço,
aqui já pesquei
num Setembro primaveril
sem peixes.
Chego logo ao meu destino,
Que o meu destino é chegar
Do lugar onde estiver
Pra qualquer outro lugar.


Postar um comentário