quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

PEQUENO POEMA UNIVERSAL

Andando sempre tão quietos,
são gatos pardos no muro
em altas horas da noite
que a noite tem aventuras.

E fazem a ronda e rodeiam
às voltas consigo mesmos,
são gatos que já passaram
no mesmo lugar em cisma.

Nestes volteios do mundo
que o mundo também volteia,
ficam as marcas do tempo
na cara de quem passeia.



Postar um comentário